Município de Aljustrel - Terra Viva

Iniciativas

Vídeo Promocional - Aljustrel, Terra VivaGabinete Apoio ao EmigranteAgenda 21Ambiente - Eco AljustrelViniculturaCPCJAJulgado de PazConselho SolidárioPrograma Aljustrel JovemUnidade Móvel de SaúdePatrimónio MineiroJornal Aljustrel Terra VivaGEO_FPIIFRRULinha Verde

Diáspora

23 de novembro

Ler Artigo

Aljustrel vai ter Gabinete de Apoio ao Emigrante

Diáspora

Diáspora

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, estará presente na cerimónia de assinatura de um acordo de cooperação entre a Câmara Municipal de Aljustrel e a Direção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas do Ministério dos Negócios Estrangeiros, tendo em vista a criação do Gabinete de Apoio ao Emigrante em Aljustrel (GAE).

A cerimónia de assinatura do acordo para a criação do GAE terá lugar no dia 23 de novembro, às 10h30, no edifício dos Paços do Concelho.

O GAE terá por missão apoiar os munícipes que tenham estado emigrados, que se encontrem em vias de regresso, que ainda residem nos países de acolhimento ou que pretendam iniciar um processo migratório.

Este gabinete pretende responder às questões inerentes ao regresso e reinserção em todas as suas vertentes: social, jurídica, económica, investimento, emprego e estudos, entre outras.

Recorde-se que, desde 2015, aquando da realização das Conferências de Aljustrel, que o incremento das relações e da comunicação com a diáspora aljustrelenses emigrada pelo Mundo foi publicamente assumido como um objetivo central pelo Município de Aljustrel. Este novo olhar sobre a diáspora ficou espelhado nas palavras do presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, Nelson Brito, no discurso de abertura dessas conferências: «Queremos valorizar os “nossos” que vivem noutras zonas do país e por esse mundo fora, onde singraram na vida, para que connosco se comprometam com a sua Terra de origem. Ou seja, queremos valorizar a nossa Diáspora. Se, entre nós, muitos bons exemplos existem de naturais regressados à terra, com novos projetos e empreendimentos, que tanto têm ajudado ao nosso desenvolvimento, devemos reconhecer que o potencial da Diáspora não está plenamente conseguido. Queremos, com este reconhecimento, que destas Conferências possam sair pistas que nos orientem para programas, intervenções e iniciativas que nos levem a melhor nos relacionarmos com os nossos que estão lá fora.»