Município de Aljustrel - Terra Viva

Iniciativas

Vídeo Promocional - Aljustrel, Terra VivaJornal de AljustrelAgenda 21Ambiente - Eco AljustrelViniculturaCPCJAJulgado de PazConselho SolidárioPrograma Aljustrel JovemUnidade Móvel de SaúdePatrimónio MineiroGEO_FPIIFRRULinha VerdeGabinete Apoio ao Emigrante

Veloz Cidade

01 de junho

Ler Artigo

Drama social em cena no Cine Oriental

Veloz Cidade

Veloz Cidade

No dia 1 de junho, às 21h30, os jovens atores do Grupo de Teatro da Biblioteca - NAIPE sobem ao palco do Cine Oriental para apresentar a peça “Veloz Cidade”, de Stevan Lekitsch.

O NAIPE vai representar alunos de uma turna de universitários, perto do tão esperado dia de fim de curso, exaltados com os preparativos para uma festa de despedida.

Além da cerimónia de bênção das pastas, que vai exigir muito dos alunos, eles vão ter de lidar com os seus problemas de relacionamento, de aceitação, de convivência com os pais, do envolvimento com drogas, álcool e carros velozes. No meio disto tudo, um acontecimento marcante vai uni-los e mudar o destino das suas vidas para sempre.

Stevan Lekitsch é um autor, produtor, professor e realizador teatral brasileiro, com mais de 30 anos de experiência em teatro profissional. As suas peças teatrais, destinadas a todos os públicos, desde o infantil aos adultos, e de todos os géneros, abordam temas tão diversos como a defesa do meio ambiente e a reciclagem do lixo, a religião, ou a discriminação e violência no trânsito, sendo este último o tema da peça apresentada em Aljustrel. Os seus textos, que já foram encenados em várias cidades e distritos do Brasil, chegam agora a Portugal. Stevan Lekitsch trabalha, atualmente, com projetos culturais e museus no Baixo Alentejo. A inspiração para o texto da peça “Veloz Cidade” deve-se ao facto de já ter perdido vários amigos em acidentes de viação. Esse drama gerou este belo texto, que homenageia todos os que partiram desta forma trágica e inesperada.

“Veloz Cidade”, com adaptação de Isabel Galope e encenação de Ângela Santos, será representada, pelo NAIPE - grupo constituído por 13 jovens atores dos 14 aos 18 anos, que também eles contribuíram para a construção deste espetáculo.

As entradas são gratuitas. Os bilhetes para assistir ao espetáculo podem ser adquiridos na receção das Oficinas de Formação e Animação Cultural, em dias de atividades na bilheteira do Cine Oriental, ou no próprio dia do espetáculo.

O espetáculo será reposto, no dia 3 de junho, para os alunos do 3.º ciclo e secundário, ao que se seguirá uma conversa com a enfermeira, Carla Espada, que apoiou o grupo NAIPE durante o processo de construção da peça.