Município de Aljustrel - Terra Viva

Iniciativas

Vídeo Promocional - Aljustrel, Terra VivaJornal de AljustrelAgenda 21Ambiente - Eco AljustrelViniculturaCPCJAJulgado de PazConselho SolidárioPrograma Aljustrel JovemUnidade Móvel de SaúdePatrimónio MineiroGEO_FPIIFRRULinha VerdeGabinete Apoio ao Emigrante

Património Imaterial

17 de julho

Ler Artigo

Pedro Mestre e Viola Campaniça – 25 anos a cantar o Alentejo

Património Imaterial

Património Imaterial

O Jardim 25 de Abril vai receber no próximo dia 17 de julho, às 22 horas, o espetáculo “Pedro Mestre & Viola Campaniça”.

Nesta atuação, que se realiza no âmbito dos espetáculos de verão das 4as à Noite, integrados no programa do “Verão Cultural”, Pedro Mestre irá subir ao palco para apresentar o Alentejo, através das suas polifonias, tão ricas e genuínas. Se Alentejo é sinónimo de Cante a Vozes, é bem seguro afirmar que numa região de tão largos horizontes, existam outras melodias que se entrecruzam, entre as quais as da viola campaniça, que desde sempre acompanhou os cantes de improviso no Alentejo, dedilhada de modo impar por Pedro Mestre. Neste espetáculo, a voz e a viola campaniça deste tocador, procurando resgatar sonoridades únicas, irão juntar-se às vozes de Pedro Calado, de José Diogo Bento e, ainda, de Miguel Carreira, que os acompanhará também ao acordeão e à guitarra,

Durante o espetáculo, Pedro Mestre irá apresentar temas inéditos, da sua autoria, bem como temas do cancioneiro tradicional alentejano, que ganham novo fôlego, onde a tradição e inovação se fundem. Um espetáculo, que visa enaltecer a tradição e a riqueza musical, que carateriza a viola campaniça e o Alentejo, a não perder!

Pedro Mestre dispensa apresentações, no entanto, recorda-se que nasceu na Aldeia da Sete (Castro Verde), e tem dedicado a sua vida à música tradicional alentejana, durante a qual tem desenvolvido vários projetos enquanto cantor, tocador e construtor de viola campaniça. Tendo-se aplicado na recolha e preservação do património imaterial da região, foi fundador/ensaiador de grupos corais alentejanos, integrando alguns deles e, desde 2006, tem vindo a desenvolver o projeto “Cante nas Escolas”, enquanto animador de música tradicional/cante alentejano, nas escolas do 1º ciclo do ensino básico. No ano letivo 2018-2019, lecionou em Beja e Serpa, num total de 600 alunos.

Em 2009, foi o grande impulsionador do Encontro de Violas de Arame. O seu primeiro CD em nome individual, “Campaniça do Despique” foi lançado em 2015, tendo sido distinguido com o "Prémio Carlos Paredes", em 2016.

Em 2017, assumiu a coordenação do Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso, de S. Martinho das Amoreiras (Odemira).

Recentemente, lançou um novo trabalho discográfico, “Mercado dos Amores” que assinala 25 anos do seu percurso musical a “Cantar o Alentejo e Outros Cantes do Sul à Viola Campaniça”.

Apaixonado pela recolha e coleção de instrumentos musicais tradicionais, nomeadamente instrumentos de corda com forte incidência sobre as violas de arame, é, igualmente, sócio-gerente da empresa Pedro Mestre Viola Campaniça Produções Culturais, Aldeia da Sete (Castro Verde). Pedro Mestre faz ainda parte de diversos projetos musicais (nacional e internacional), nomeadamente “Grupo Viola Campaniça”; Grupo “4uatro ao Sul ou “Rastolhice”, entre muitos outros.